Monografias de História dos Bairros de São Paulo

O Arquivo Histórico Municipal, Departamento da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo, é responsável pelo Concurso de Monografias sobre a História destes Bairros de São Paulo. O gênero monografia é uma ação social que organiza a cultura acadêmica em fase de conclusão de um curso universitário de Graduação e Especialização, bem como é uma ação textual esquematizada na produção escrita. Com este respaldo em abordagens sociorretóricas, de Swales (1990; 2004) e de Bhatia (2004; 2009), investigamos monografias pelo contínuo com outros gêneros de iniciação no meio científico. Concluímos que elas revelam uma prototipicidade marcada por movimentos mais gerais, como identificação de tema, apresentação de objeto, questão e objetivos de pesquisa. Além disso, por movimentos mais específicos, como an informação de que as pesquisas são derivadas por projetos desenvolvidos no programa institucional de fomento à formação de pesquisadores (PIBIC), adaptando-se ao contexto situacional e comunicativo que evoca.

FACULDADE SHALOM DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NOME DO ALUNO

  • Percebe-se que, o intercambista tranforma redes de internacionalização universitária em redes solidárias ao dar-lhes continuidade por vias informais, pela valorização da troca cultural e intelectual.
  • O Arquivo Histórico Municipal, Departamento da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade do São Paulo, é responsável pelo Concurso de Monografias sobre a História dos Bairros de São Paulo.
  • Com o respaldo em abordagens sociorretóricas, de Swales (1990; 2004) e de Bhatia (2004; 2009), investigamos monografias pelo contínuo com outros gêneros de iniciação no meio científico.
  • Saiba como fontes secundárias, o trabalho problematiza a figura do intercambista a partir do conceito de estrangeiro de Georg Simmel e contextualiza a discussão buscando base nas análises de Larissa Lomnitz, Oskar Negt, Sousa Santos e Vivianne Châtel.
  • Concluímos que elas revelam uma prototipicidade marcada por movimentos mais gerais, como identificação de tema, apresentação de objeto, questão e objetivos de pesquisa.
  • Para melhor compreensão do fenômeno, a discussão pretende ser o ponto de partida para um estudo de caso mais específico sobre o desarrolar de cooperação universitária.

“Partiu-se da hipótese de que assimilando o tempo e o conteúdo de estudo com as informações obtidas através de pesquisas foi possível concretizar-se, de maneira estratégica, as melhores ferramentas para fixação de saber. O concurso teve princípio em 1968 e é aberto ao público em geral, pesquisadores, memorialistas e historiadores dos bairros paulistanos. Como fontes primárias, recorre-se à experiência do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social (PPGDS), da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), em Minas Gerais (MG), reconhecido por investir nos intercâmbios internacionais. Como fontes secundárias, o produção problematiza a figura do intercambista a partir do conceito de estrangeiro por Georg Simmel e contextualiza a discussão buscando apoio nas análises de Larissa Lomnitz, Oskar Negt, Sousa Santos e Vivianne Châtel.

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Percebe-se que, o intercambista tranforma redes de internacionalização universitária em redes solidárias ao dar-lhes continuidade por vias informais, pela valorização da troca cultural e intelectual. Para melhor compreensão do fenômeno, a discussão pretende ser o ponto de partida para 1 estudo de caso muito mais específico sobre o desarrolar de cooperação universitária.

SHARE IT:

Leave a Reply